concurso

CEF CODHAB

1/5
imagens 3d:

><
1/2

Memorial Descritivo:

O projeto da escola começa muito antes do atendimento do programa de necessidades ou da análise do terreno. Ele se inicia na reflexão dos espaços escolares, das possibilidades de aprendizagem e nas limitações do ensino público no Brasil.

 

Embora os espaços devam atender a questões programáticas muito rígidas, a escola ainda deve ser o local da interação, dos questionamentos, das trocas e da vida social. É nela que se darão as primeiras e talvez principais relações sociais que se tornarão parte importante da formação das crianças.

 

Neste sentido, o que se pretende com o projeto para o Centro de Ensino Fundamental – CEF – além de atender a crescente demanda de serviços públicos educacionais no bairro, tendo em vista a implantação do conjunto Habitacional de Interesse Social denominado “Parque do Riacho”,  é a criação de um conjunto arquitetônico capaz de incorporar as mais diversas possibilidades de arranjos e relações tanto dos alunos quanto dos funcionários.

 

Para isso cria-se uma série de conformações entre cheios e vazios, espaços construídos e espaços abertos, edifício e praças. As dimensões variadas de espaços, bem como a alteração dos pés direitos através da escavação da praça central rebaixada e um fluxo amplo e contínuo entre todos os ambientes da escola, afirmam esta intenção projetual.

Dispondo as salas de aula como blocos isolados, criamos situações de plena ventilação e iluminação das mesmas, gerando pequenos pátios internos, possibilitando também uma maior fluidez dos espaços e a livre circulação dos alunos pelo térreo, item que norteou o projeto, liberando a maior parte do terreno com áreas abertas e tendo o pátio central como articulador de todo o programa, deste modo anulamos a possibilidade de circulações fechadas no térreo. No piso superior, nossa preocupação foi que a todo momento a interação visual dos usuários fosse garantida, onde as circulações estão sempre voltadas para o lado externo da edificação, gerando uma agradável comunicação entre os variados desníveis do projeto.

 

Sistema Construtivo

 

O sistema construtivo proposto foi pensado de maneira que a escola fosse rapidamente construída com itens padronizados e utilizados em grande escala na construção civil brasileira,. A estrutura metálica, lajes de steel frame e fechamentos de painéis cimentícios foram os materiais adotados, dando o caráter de rapidez e controle dos processos construtivos na obra.

 

Economicidade  e agilidade construtiva

Racional e eficiente

Modulação e padronização X espaços livres, divertidos ?

Fácil manutenção

 Sustentabilidade econômica

Altura max edificação

Rebaixo praça

*Programas públicos auditório / refeitório – possibilidades *

Pensando na escola como equipamento público, entendemos que certas atividades nela exercidas podem dar suporte e agregar a comunidade local, tais como o Auditório, que poderá se abrir tanto ao páteo interno quanto para a parte externa da escola, a Biblioteca que nos finais de semana poderá ser acessada pelos moradores do bairro e a quadra poliesportiva que nos finais de semana servirá como mais um equipamento de lazer da comunidade.

 

 

Articulação dos espaços

 

O projeto do Centro de Ensino Fundamental (CEF) é precedido por uma profunda reflexão sobre os espaços escolares, sobre as possibilidades de aprendizagem e pelas demandas urgentes do ensino público no Brasil. O espaço foi pensado para possibilitar a convivência, ser palco para troca de aprendizado e para as experiências de vida que construirão o caráter e a memória afetiva dos estudantes.

 

Ele atende o conteúdo programa de necessidades, a adequação ao terreno, atende às necessidades de serviços públicos educacionais no bairro, recém agraciado com o Conjunto Habitacional de Interesse Social denominado “Parque do Riacho”. Portanto, trata-se de um conjunto arquitetônico capaz de possibilitar diversos arranjos e possibilidades extra classe entre os alunos e também dos funcionários.

 

Para isso cria-se uma série de conformações entre cheios e vazios, espaços construídos e espaços abertos, edifício e praças. As dimensões variadas de espaços, bem como a alteração dos pés direitos através da escavação da praça central rebaixada e um fluxo amplo e contínuo entre todos os ambientes da escola, afirmam esta intenção projetual.

 

O pátio central é o articulador de todo o programa. Dispondo as salas de aula como blocos isolados, criamos situações de plena ventilação e iluminação, gerando pequenos pátios internos. Assim, possibilitamos maior fluidez dos espaços e a livre circulação dos alunos pelo espaço térreo - que norteou o projeto. No piso superior, nossa preocupação foi garantir a constante interação visual dos usuários. As circulações estão sempre voltadas para os lados externos da edificação, gerando uma agradável comunicação entre os variados desníveis do projeto.

Projeto: Estúdio Artigas + Urb SP + Ateliê Navio + BRRO Arquitetos + Lucio Fleury + Sheila Altmann

Equipe: Marco Artigas, Marco D'Elia, Ricardo Marmoratto, Lais Xavier, Lucio Fleury, Bruno Rossi, Sheila Altmann, Ursula Troncoso

Data do projeto: 2015